Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Campanha de atualização de rebanhos tem início no Paraná, Goiás e Minas Gerais

Atenção, pecuaristas da área de atuação da Cocari. Teve início no dia 1º de maio a Campanha de Atualização dos Rebanhos de 2024 do Paraná, Goiás e Minas Gerias. Nos três estados, a campanha se estenderá até 30 de junho.

Paraná

No Paraná, a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) lembra que a atualização é obrigatória para todos os produtores rurais com animais de produção de qualquer espécie (bovinos, búfalos, equinos, asininos, muares, suínos, ovinos, caprinos, aves, peixes e outros animais aquáticos, colmeias de abelhas e bicho da seda) sob sua guarda. Aqueles que não cumprirem a exigência ficarão impedidos de obter a Guia de Trânsito Animal (GTA), documento que permite a movimentação de animais entre propriedades e para abate nos frigoríficos.

Os produtores podem fazer a atualização pelo aplicativo Paraná Agro, pelo site da Adapar ou presencialmente em uma das Unidades locais da Adapar, Sindicatos Rurais ou Escritório de Atendimento de seu município. O acesso ao sistema também está disponível de forma direta por meio do link www.produtor.adapar.pr.gov.br/comprovacaorebanho. Para fazer a comprovação, o produtor deve ter o CPF cadastrado.

A partir de 30 de junho, o produtor que não atualizar o rebanho estará sujeito a penalidades previstas na legislação, inclusive multas.

Goiás

Goiás conquistou o reconhecimento de zona livre de aftosa sem vacinação, no dia 25 de março, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

No Estado, este ano, a declaração conta com uma novidade: a necessidade de informar, detalhadamente, o mês de nascimento de todos os bovinos e bubalinos que, na data da declaração, tenham entre zero e 12 meses de idade. De acordo com a Agência Goiana de Defesa Agropecuária – Agrodefesa – a informação é importante para o Estado ter conhecimento da dimensão do rebanho nessa faixa etária, que é alvo de importantes ações de sanidade animal. 

A Agência tranquiliza os produtores, informando que a declaração será feita de forma simplificada, sem burocracia. Trata-se de uma estratificação que deve ser preenchida separando machos e fêmeas, informando a quantidade de cada animal que tem até 12 meses.

Pequenos produtores que possuem até 50 cabeças de animais e estejam com dificuldades, podem solicitar apoio nas Unidades Operacionais Locais (UOLs) da Agrodefesa para o preenchimento do Sidago e lançamento dos dados no sistema.

A Agrodefesa elaborou um manual explicativo para emissão de declaração de rebanho e vacinação contra a raiva que pode ser acessado no endereço: https://goias.gov.br/agrodefesa/wp-content/uploads/sites/49/2024/05/Manual-Declaracao-2024_compressed.pdf. 

Minas Gerais

Em Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) convocou os pecuaristas, para a atualização dos dados, esclarecendo que esses processos são fundamentais para a capacidade de resposta do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) em casos de emergência e destacou que a participação de todos os pecuaristas é essencial para garantir a qualidade e segurança da produção agropecuária mineira. 

A meta do Estado é o reconhecimento internacional como área livre de febre aftosa sem vacinação. Minas Gerais não registra casos de febre aftosa desde 1996. E em 2024 foi reconhecido como livre da doença sem vacinação pelo Mapa.

A atualização dos rebanhos pode ser feita pelo Portal do Produtor, acessado pelo site do IMA (www.ima.mg.gov.br) sem custos.  

Redação Cocari, com informações da AEN, Agrodefesa e Seapa

PLANTÃO DE INFORMAÇÕES

Aconteceu algo e quer compartilhar? Envie para nós!

Estamos nas redes sociais
Coloque o seu melhor e-mail e receba nossas atualizações

Ao repostar nosso conteúdo, dê os devidos créditos.