DENGUE: Boletim confirma 3.911 novos casos e mais três óbitos no Paraná

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nesta terça-feira (23) uma atualização do boletim epidemiológico da dengue com mais 3.911 casos positivos e três mortes. Agora o Estado soma quatro óbitos e 16.693 casos confirmados pela doença. O período epidemiológico teve início em julho de 2023 e segue até o final de julho deste ano.

Os óbitos ocorreram em Mariluz (uma mulher de 39 anos), Cambé (um homem de 82 anos) e Cornélio Procópio (um homem de 58 anos). Eles não tinham comorbidades. Ainda estão em investigação outros 14 óbitos ocorridos desde o início de janeiro nos municípios de Apucarana, Planaltina do Paraná, Cambira, Cambé, Paranavaí, Sarandi, Quedas do Iguaçu e Mandaguari. 

As 22 Regionais de Saúde possuem casos confirmados da doença. Dos 399 municípios, 279 possuem casos confirmados. São 14.784 casos autóctones, ou seja, adquiridos no município de residência dos infectados. O Estado já descartou 31.378 casos suspeitos.

CHIKUNGUNYA – O mosquito Aedes aegypti também é responsável pela transmissão da zika e chikungunya. Durante este período não houve confirmação de casos de zika. São 50 notificações e nenhum caso ou óbito confirmado.

O boletim registrou três novos casos de chikungunya, somando 47 confirmações da doença no Estado. Do total, 38 são autóctones e quatro considerados importados. Desde o início do período sazonal são 415 notificações.

CAPACITAÇÃO – A Sesa realizou nesta terça-feira (23), por meio da equipe de Urgência e Emergência, uma capacitação sobre manejo clínico com enfoque na hidratação e condução dos pacientes com suspeita de dengue. O encontro contou com a participação de profissionais da urgência e emergência das Unidades de Pronto Atendimento e coordenadores das Centrais de Leitos dos 399 municípios. 

“Além dos profissionais da Atenção Primaria e Ambulatorial Especializada, estamos envolvendo também os profissionais da urgência e emergência, pois o enfrentamento contra a dengue deve ser articulado, com todos os profissionais de saúde. Devemos estar mobilizados, capacitados e informados sobre as medidas e ações a serem tomadas frente a este grande problema que estamos enfrentando”, disse a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

“Com a parceria dos municípios, estamos realizando grandes ações para reduzir os casos de dengue, mas a luta contra o Aedes aegypti é de todos. Precisamos de uma grande força tarefa junto à população na eliminação dos recipientes que acumulam água parada, como vasos de planta, caixas d´água ou pneus velhos deixados a céu aberto. Agora é hora de união para intensificar os cuidados em todo o Estado”, complementou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. 

Confira o boletim AQUI. Mais informações sobre a dengue estão AQUI.

Não é permitida a reprodução deste conteúdo.