Protegendo as Crianças: A queda das temperaturas pode proliferar vírus que causam doenças respiratórias

Com a chegada do outono e inverno, as temperaturas mais baixas trazem consigo um aumento na proliferação de vírus que causam doenças respiratórias, como a bronquiolite e a pneumonia, especialmente em crianças. Dr. Douglas Silva, pediatra do Hospital da Providência Materno Infantil, explica como essas doenças afetam os pequenos e quais medidas podem ser tomadas para protegê-las.

Bronquiolite

O pediatra explica que a bronquiolite é principalmente causada pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR), que se espalha pelo contato com secreções respiratórias infectadas, como espirros, tosse, ou superfícies contaminadas. “Bebês prematuros, recém-nascidos, crianças menores de dois anos com doenças pulmonares crônicas ou cardiopatia congênita e crianças com sistema imunológico enfraquecido são mais suscetíveis a desenvolver casos graves de bronquiolite”, explica.

Os sintomas da doença de acordo com o médico podem ser coriza, tosse persistente, febre, chiado no peito e dificuldade para respirar.

Pneumonia

Dr. Douglas também explica que a pneumonia, outra doença frequente nesta época do ano, pode atingir crianças pequenas, especialmente as com menos de 5 anos, bebês prematuros e aquelas com condições crônicas como asma ou doenças cardíacas estão em maior risco. “A pneumonia é uma infecção que inflama os sacos de ar nos pulmões, podendo ser causada por bactérias, vírus ou fungos, os sintomas podem ter tosse com expectoração (muco), febre alta, dor no peito ao respirar ou tossir, falta de ar, calafrios e tremores”, afirma o médico.

Protegendo as crianças

A proteção das crianças contra doenças respiratórias durante o período de queda das temperaturas envolve medidas preventivas simples, mas eficazes. “A vacinação é uma das formas mais eficazes de prevenir doenças respiratórias graves contra pneumonia e gripe, manter a higiene das mãos, garantir boa nutrição e hidratação, manter os ambientes bem ventilados e evitar aglomerações”, diz Dr. Douglas.

A atenção aos sintomas e a busca por atendimento médico adequado são fundamentais para garantir a saúde e bem-estar dos pequenos. “Deve-se monitorar os sintomas, observar se a criança apresenta sinais de dificuldade respiratória, tosse persistente, febre alta ou chiado no peito e procurar atendimento médico se os sintomas persistirem. O diagnóstico precoce pode prevenir complicações graves”, finaliza o pediatra.

Hospital da Providência

PLANTÃO DE INFORMAÇÕES

Aconteceu algo e quer compartilhar? Envie para nós!

Estamos nas redes sociais
Coloque o seu melhor e-mail e receba nossas atualizações

Ao repostar nosso conteúdo, dê os devidos créditos.