Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Propriedade rural de Apucarana vira referência regional na produção de tomate orgânico

Foto: IDR-PARANÁ

Odete e José Valdomiro da Silva são produtores de tomate orgânico em Apucarana. A produção sem agrotóxicos começou em 2018 e desde então o casal tem conseguido não apenas se manter, como também gerar trabalho para seus filhos. A boa produtividade e lucratividade do cultivo chamam a atenção. Ao todo, os produtores cultivam 13.500 pés de tomate em nove estufas. Cada uma delas produz, num período de três meses, 340 caixas de 20 kg tomate.

Toda a produção da propriedade, de 1,5 alqueire, é vendida na Feira do Produtor, mercados e sacolões de Apucarana, Associação de Produtores de Uraí e para uma empresa de produtos orgânicos de São Paulo. Segundo o casal, algumas vezes falta produção para atender aos pedidos.

A produção chamou a atenção do prêmio Orgulho da Terra 2023, que deu ao casal a vitória na categoria agricultura orgânica,. A premiação é organizada pelo Grupo RIC, em parceria com o IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná- Iapar-Emater) e Ocepar (Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná).

Nesta semana o casal também recebeu agricultores e estudantes da região para uma Tarde de Campo. Os visitantes puderam conhecer toda a rotina do trabalho na propriedade. O evento foi dividido em quatro baterias por onde passaram 162 visitantes de treze municípios. Segundo Felipe Machado de Freitas, técnico do IDR-Paraná, os participantes da atividade conheceram a unidade de processamento de hortaliças, com licença sanitária, instalada na propriedade. Também discutiram a implantação, manejo e viabilidade econômica do tomate orgânico.

Freitas diz que o cultivo orgânico trouxe muitas vantagens para o casal. “Eles não queriam mais lidar com defensivos agrícolas. Com o cultivo orgânico conseguiram reduzir o custo da propriedade em 60%. Eles criaram um sistema e agora produzem tomate em quantidade e qualidade”, explicou o extensionista. Ele lembrou que os agricultores fazem a rotação de cultura com o plantio de abobrinha, pepino e outras olerícolas na mesma área.

Em outras duas baterias os visitantes tiveram informações a respeito da importância da qualidade de mudas e porta-enxertos, além de conhecerem a variedade de tomate cereja “bosco”.

Para Freitas, a Tarde de Campo foi importante para divulgar a tecnologia e as peculiaridades do trabalho com a agricultura orgânica. “Na região de Apucarana o interesse pela produção orgânica tem aumentado nos últimos anos, mas ainda estamos no início. Nessa propriedade temos também um bom exemplo de sucessão familiar, já que os filhos, que moravam fora, deixaram de trabalhar em granjas de terceiros para ajudar os pais no cultivo de tomate”, contou.

Além da redução de custos, Freitas destacou que a produtividade do cultivo chega a 6,6 quilos de tomate por planta, o que é considerado um resultado muito bom.

Dona Odete comemorou a Tarde de Campo realizada na propriedade. “Foi muito importante o pessoal conhecer como a gente produz. Ver que a produção orgânica não dá mais trabalho, só tem que ter mais cuidado. Estou muito satisfeita. Antes eu até ia parar com a agricultura, mas o Felipe nos incentivou e fizemos o plantio orgânico”, ressaltou a produtora.

A propriedade tem certificação participativa para a produção orgânica da Ecovida. Eles participam do grupo Gurucaia que tem sete famílias de produtores de Apucarana e Arapongas, três já certificados e quatro em processo de transição do sistema convencional para o orgânico. A Tarde de Campo foi realizada pelo IDR-Paraná e com o patrocínio da Líder Agrícola; Enza Zaden; prefeitura de Apucarana; Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Apucarana; e Domene Agro.

ORGULHO DA TERRA – O Prêmio Orgulho da Terra é uma iniciativa que para valorizar produtores rurais e técnicos agrícolas comprometidos com as boas práticas do agronegócio, que levam em conta os pilares social, ambiental e econômico. Além da agroecologia, a terceira edição do Prêmio Orgulho da Terra premiou, também, as seguintes categorias: aves, café, erva-mate, feijão, bovinocultura de leite, suínos, piscicultura, agricultura orgânica, agroindústria, bovinocultura de corte, inclusão social, mulheres no agro, sericicultura, soja e milho, sucessão, tecnologia e turismo rural.

PLANTÃO DE INFORMAÇÕES

Aconteceu algo e quer compartilhar? Envie para nós!

Estamos nas redes sociais
Coloque o seu melhor e-mail e receba nossas atualizações

Ao repostar nosso conteúdo, dê os devidos créditos.