Inflação desacelera, mas preços dos alimentos continuam subindo

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, desacelerou em janeiro e ficou em 0,42%, segundo informou o IBGE nesta quinta-feira (8). O resultado representa uma queda de 0,14 ponto percentual em relação a dezembro, quando a taxa foi de 0,56%.

Nos últimos 12 meses, o IPCA acumula alta de 4,51%. Em janeiro de 2023, a variação havia sido de 0,53%.

Alimentos e bebidas puxam alta

O principal responsável pela inflação em janeiro foi o grupo Alimentação e bebidas, que subiu 1,38%. Dentro desse grupo, a alimentação no domicílio teve alta de 1,81%, com destaque para os aumentos da cenoura (43,85%), da batata-inglesa (29,45%), do feijão-carioca (9,70%), do arroz (6,39%) e das frutas (5,07%).

  • Saúde e cuidados pessoais: alta de 0,83%
  • Transportes: queda de 0,65%, com recuo na passagem aérea (-15,22%)
  • Habitação: alta de 0,25%, com destaque para a queda na energia elétrica residencial (-0,64%)
  • Combustíveis: recuo de 0,39%, com exceção do gás veicular (5,86%)

Variação da inflação nos últimos meses:

  • Janeiro/2023 – 0,53%
  • Fevereiro/2023 – 0,84%
  • Março/2023 – 0,71%
  • Abril/2023 – 0,61%
  • Maio/2023 – 0,23%
  • Junho/2023 – -0,08%
  • Julho/2023 – 0,12%
  • Agosto/2023 – 0,23%
  • Setembro/2023 – 0,26%
  • Outubro/2023 – 0,24%
  • Novembro/2023 – 0,28%
  • Dezembro/2023 – 0,56%
  • Janeiro/2024 – 0,42%

Perspectivas

Ainda é cedo para dizer se a desaceleração da inflação em janeiro é uma tendência ou um evento pontual. Os analistas do mercado financeiro esperam que a inflação continue a ceder nos próximos meses, mas ainda há incertezas sobre o ritmo dessa queda.

Com informações do IBGE

Não é permitida a reprodução deste conteúdo.