Como funcionam os testes para dengue?

O Brasil deve bater nesta segunda-feira (12) a barreira dos 408 mil casos prováveis de dengue. A informação, que pode ser acompanhada no Painel de Arboviroses do Ministério da Saúde, chega no mesmo momento em que a Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) divulga um crescimento no número de exames de dengue realizados na rede privada.

O teste rápido para dengue é feito por uma metodologia chamada imunocromatografia. O nome é complicado, mas ele é simples. É como se fosse um teste de gravidez.

É realizada pingos do sangue total ou o soro (parte líquida do sangue depois da centrifugação) no cartucho e espera o tempo recomendado. Daí vai aparecer um ou dois risquinhos. Dois risquinhos apontam o resultado positivo.

Para diagnóstico mais precoce, o ideal é fazer o antígeno NS1. A sorologia é indicada a partir do dia 6.

Não é permitida a reprodução deste conteúdo.