Google adota o nome Gemini para competir com ChatGPT e Copilot

O Google anunciou uma mudança significativa em suas ferramentas de inteligência artificial, abandonando o nome Bard em favor de Gemini. Esta transição, considerada uma das mais marcantes da história da empresa, foi anunciada pela vice-presidente Sissie Hsiao e entrará em vigor a partir desta quinta-feira (8).

As principais alterações reveladas pelo Google incluem:

  • A mudança de nome de Bard para Gemini, acompanhada pelo lançamento de um aplicativo dedicado no Android.
  • A estreia do plano Google One AI Premium, oferecendo inteligência artificial generativa de alta capacidade por R$ 96,99/mês no Brasil.
  • O Google Assistente passa a ser alimentado pelo modelo Gemini.
  • O Duet AI se torna Gemini nos aplicativos do Google Workspace e do Google Cloud, como o Gmail e Google Docs.

O que é Gemini?

O Gemini foi anunciado pelo Google em dezembro de 2023 como um novo modelo de linguagem multimodal e poderoso, capaz de compreender interações em texto, áudio e imagem. Comparativamente, é equiparado ao GPT-4 da OpenAI, representando um avanço significativo em modelos de linguagem.

O Gemini é subdividido em três versões: Nano, tradicional e Advanced (anteriormente Ultra), cada uma com características específicas, como velocidade de processamento e capacidade para atividades complexas. Após dois meses de seu lançamento, o Google decidiu integrar o Gemini em vários produtos e plataformas acessíveis aos usuários.

O CEO Sundar Pichai explicou em comunicado que o Gemini Ultra agora é chamado de Gemini Advanced, sendo mais ágil em atividades que exigem raciocínio, instruções, codificação e colaboração criativa. Atualmente, opera apenas em inglês, disponível em 150 territórios, incluindo o Brasil, com planos de expandir para outros idiomas como japonês e coreano.

O novo aplicativo Gemini

Durante uma entrevista coletiva realizada em 07 de fevereiro, executivos do Google detalharam as diversas mudanças e adaptações para a chegada do Gemini. Os usuários de Android terão um aplicativo dedicado à IA, semelhante ao que a Microsoft fez com o Copilot, permitindo interações por texto, voz ou imagem, com todo o processamento na nuvem. Apenas o smartphone Pixel 8 Pro, da Google, possui uma IA embarcada.

Os recursos do Gemini estarão disponíveis em celulares com Android 12 e no mínimo 4 GB de RAM. Os usuários de iPhone (iOS) poderão acessar o Gemini através do aplicativo oficial do Google, sem a necessidade de instalações adicionais, exigindo iOS 16 ou posterior.

No computador, o Gemini poderá ser acessado em gemini.google.com, substituindo a página bard.google.com. Testes iniciais mostram que o sistema é rápido em fornecer respostas, com um botão de verificação de informações e links embasados nos resultados apresentados. O Google destaca que as conversas são processadas por humanos para aprimorar a tecnologia do Gemini, recomendando que dados confidenciais não sejam inseridos.

Não é permitida a reprodução deste conteúdo.