Copinha: Curiosidades sobre o torneio mais tradicional das categorias de base do futebol

A Copa São Paulo de Futebol Junior conclui sua 54ª edição nesta quinta-feira (25), com a final entre Corinthians x Cruzeiro sub-20 na Neo Química Arena. Para celebrar o fim da competição, a reportagem Nova Era News separou algumas curiosidades sobre as finais do campeonato mais tradicional da base do futebol brasileiro.

Finais com maior número de gols 

Foram duas em que houve oito gols na decisão. Na primeira, em 1971, o clássico carioca entre Botafogo e Fluminense terminou empatado em 4 a 4. Na disputa de pênaltis, o tricolor das Laranjeiras levou a melhor e venceu por 4 a 3. Na segunda oportunidade, em 2001, outro empate por 4 a 4, dessa vez entre o extinto Roma Barueri e o São Paulo. O time recém-criado na época levou a melhor e venceu a disputa por 6 a 5.

Finais com menor número de gols

Foram três, no total, em que houve empates sem gols. Na primeira, em 1975, o empate foi entre Atlético-MG e Ponte Preta, com vitória do time mineiro nos pênaltis por 5 a 3. Três anos depois, foi a vez de Inter e Corinthians empatarem em 0 a 0. A equipe gaúcha levou a melhor com a vitória nas penalidades por 5 a 4. Em 2006, o América-SP levou a melhor sobre o Comercial-SP com vitória nos pênaltis por 3 a 1.

Clubes que representam oito estados jogaram a final

São eles: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Goiás, Paraná, Bahia e Rio Grande do Sul. No entanto, baianos, goianos e paranaenses não ficaram com o título (Bahia, Goiás e Athletico Paranaense).

14 finais já foram disputadas nos pênaltis 

Ao todo, o título foi decidido nas penalidades em 14 oportunidades, nos seguintes anos: 1971, 1975, 1978, 1992, 1994, 1997, 1998, 2001, 2003, 2006, 2007, 2010, 2016, 2019 e 2020.

Dez estádios já receberam a decisão

O centro esportivo Vicente Ítalo Feola recebeu as duas primeiras edições da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 1969 e 1970. A terceira edição foi realizada no Centro Esportivo de Pirituba. A quarta edição foi realizada no Pacaembu, palco que virou tradicional em receber a decisão. No total, foram 35 finais no estádio que recebeu a Copa do Mundo de 1950. Canindé (6), Parque São Jorge (2), Morumbi (2), Palestra Itália/Allianz Parque (2), Nicolau Alayon (1) e Olímpico da USP (1) foram outros estádios que receberam a final. Neste ano, a decisão será disputada na Neo Química Arena, pela primeira vez.

Lucas Paquetá campeão em final de 2016 contra o Corinthians

Jogador da Seleção Brasileira na Copa do Mundo 2022, Lucas Paquetá atuou na decisão da Copinha contra o Corinthians e fez o gol na disputa de pênaltis, vencida pelo time carioca por 4 a 3 após empate por 2 a 2 no tempo normal.

Casemiro campeão em final de 2010 contra o Santos 

O volante Casemiro, presente em duas Copas do Mundo com o Brasil, foi titular do São Paulo na final contra o Santos, vencida nos pênaltis por 3 a 0.

Deco destaque de final pelo Corinthians em 1997 

O meia Deco, que se naturalizou português e disputou duas Copas do Mundo com o país luso, venceu a final da Copinhha pelo Corinthians contra o Lousano Paulista, em disputa vencida nas penalidades. O jogador chegou a vencer duas Ligas dos Campeões, uma pelo Porto e outra pelo Barcelona.

Kaká campeão em final pelo São Paulo em 2001

O meia campeão do mundo com o Brasil e eleito o melhor jogador do mundo em 2007 estava no elenco campeão da Copinha em 2001 mas, curiosamente, não era titular. Ele foi alçado aos profissionais no mesmo ano pelo técnico Vadão.

Dener campeão pela Portuguesa em goleada contra o Grêmio em 1991

Talento da Portuguesa e que marcou época com golaços, Dener inclusive foi homenageado com o nome do prêmio do gol mais bonito da Copa São Paulo Júnior atual. Ele foi o autor do primeiro gol na goleada por 4 a 0 sobre o Grêmio na decisão. Dener faleceu três anos depois em um trágico acidente de carro.

Marquinhos campeão em final de 2012 contra o Fluminense 

Zagueiro da Seleção Brasileira em duas Copas do Mundo, Marquinhos foi destaque do Corinthians na campanha do título da Copinha contra o Fluminense. Curiosamente, seu parceiro de zaga na ocasião, Antônio Carlos, fez os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, atual time do zagueiro.

Rogério Ceni campeão em final contra o Corinthians em 1993

O goleiro multicampeão pelo São Paulo e com o maior número de gols na história do futebol foi titular na decisão contra o Corinthians em 93, vencida por 4 a 3.

Raí na final pelo Botafogo de Ribeirão Preto contra o Atlético-MG em 1983

O meia Raí, ídolo do São Paulo e campeão do mundo com a Seleção Brasileira em 1994, atuou na final da Copinha pelo Botafogo-SP, mesmo time que seu irmão mais velho, Sócrates, foi revelado. O Galo venceu a decisão por 2 a 1.

Com informações do Apostagolos

Não é permitida a reprodução deste conteúdo.